quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Farenses pelo mundo!

Estas perdoado, podes voltar!

"Ainda sobre o FARENSE - Braga, mais umas palavras elogiosas que não poderia deixar de partilhar convosco!
"Este domingo, o estádio de São Luís recebeu um jogo grande, um jogo que deu para relembrar os velhos tempos de glória do Farense.
Apesar do resultado ter sido negativo para os leões de Faro, a equipa, orientada por Jorge Paixão, mostrou uma grande atitude dentro de campo, obrigando mesmo o Braga a jogar o prolongamento, onde acabaria por marcar o único golo da partida, através de uma grande penalidade.
O jogo foi muito disputado a meio campo, tornando-se muito físico com o desenrolar da partida. O Farense mostrou que tem um bom coletivo e um grande avançado, que trabalhou durante os 120 minutos. Rambé foi incansável na maneira como disputava cada bola, na esperança de conseguir que a sua equipa desequilibrasse.
Como já disse anteriormente, apesar do resultado não ter sido aquele que os adeptos do Farense desejavam, a exibição que os leões do Algarve realizaram perante uma das melhores equipas da primeira liga portuguesa mostrou que esta equipa está viva e com vontade de voltar novamente ao patamar mais alto do futebol nacional.
Sentiu-se de novo o calor do futebol na cidade de Faro, sentiu-se o cheiro a primeira liga. Espero que este jogo e que o ambiente que se viveu dentro do São Luís seja o tónico que esta equipa necessitava. Uma equipa que, apesar de apresentar qualidade, falha por vezes em coisas que lhe são fatais.
É com esta mentalidade que se tem de continuar o trabalho que se está a realizar, e é também com esta mentalidade que o povo de Faro tem de continuar. São Luís tem de voltar a ser o Inferno que era antigamente, aquele lugar onde até José Mourinho já disse que temeu jogar, aquele lugar onde as equipas visitantes tinham de comer relva para conseguir ganhar ao Farense, acima de tudo, tem de ser uma fortaleza.
E não foi só dentro de campo que hoje se viu um bom espetáculo. Os South Side boys, que mais uma vez mostraram que são uma das melhores claques a nível nacional, proporcionaram uma noite cheia de apoio aos jogadores que envergavam o símbolo do Farense ao peito. A forma como cantam desde o início até ao fim do jogo, a forma como empurram a equipa nos bons e nos maus momentos, tudo isso faz a diferença
Por tudo o que o Farense foi no passado, por tudo aquilo que já passou num passado não muito distante, pelo amor que o povo de Faro sente por este clube e pela vontade que tem de o voltar a ver na primeira divisão, esperemos que este jogo volte a acontecer brevemente, mas que desta vez não seja para a taça, mas sim para a primeira Liga Portuguesa."

in Bola na rede

Penafiel 0-0 FARENSE

Mal deu para digerir o jogo com Braga e o nosso Farense atravessava o Pais para defrontar o Penafiel, levando atrás de si uma carrinha de bravos ultras! Como prémio um belo empate, que nos mantém nesta bela caminhada de quatro jogos sem perder. Uma boa viagem para os Ultras que ainda estão de regresso a nossa capital, no momento em que escrevo estas palavras, a próxima Tranferta será mais perto, apenas 1200km de viagem...
EU ACREDITO!



FARENSE 0-1 Braga

Jogo da Taça, a competição em que os pequenos se transformam em grandes e os grandes em pequenos. Recebemos o primo divisionário Braga no s.Luis.
Jogo complicado, mas nós acreditávamos, alias, nós acreditamos sempre! Na história do nosso clube, um dos marcos que temos é a ida a final da Taça na época 89/90, quando disputamos a saudosa 2ªdivisão Sul, onde defrontamos o também primo divisionário Estrela da Amadora,   levando o jogo a uma Finalíssima, onde perderíamos. Em Faro temos um sonho de lá voltar...e voltaremos! E foi com esse sonho que preparamos este jogo, que começou a ser preparado com antecedência. Ainda em fase de idealização da mesma, apresentava a minha proposta ao Vává, mas ele já tinha uma em mãos do Velhote, colocando a hipótese de fazermos uma coreografia em cada parte...olhando para a mesma ( que era boa), propus fazermos algo inédito no nosso historial de coreografia, duas numa só, elas complementavam-se, mas seria um grande desafio...PERFEITO!! ! Uma semana de intenso trabalho, com um novo reforço de peso nesta equipa de trabalho, que nos abre os horizontes para mais e melhores coreografias! Projecções, pinturas e preparação de toda a engenharia da mesma, tudo correu bem e dentro do Timming, algo que não é muito usual connosco, estamos a evoluir, mas também graças a dedicação e devoção dos mesmos de sempre e também dos que por iniciativa própria foram aparecendo conforme a disponibilidade, o meu agradecimento vai no resultado final da mesma, que a todos vos há-de ter enchido de orgulho em ter colaborado.
Dia de jogo, ESTOU DE FOLGA, algo inédito nos últimos tempos! Manhã preenchida na preparação da coreografia e ensaia-la, para que tudo corresse bem, o vento que estava deixava-me um nervoso miudinho...podia deitar tudo a perder. Depois de almoço, a sede começa a compor-se, o ambiente e fantástico e entre todos reinado optimismo em relação a um bom resultado. A sede fecha cedo e cedo a bancada começa a compor-se, coreografia preparada e todos voluntarioso para ajudar na mesma, é este o espírito! Chega a hora, equipas no relvado, o vento parou e sobe a coreografia, simplesmente perfeito! Numa primeira fase, um ultra sonha com o Jamor em dois panos distintos, acompanhados da frase " Ontem tive um sonho", numa segunda fase surgiria o pano do mítico Manu, acompanhado da frase, " Vamos torna-lo Real", por tras plasticos pretos e brancos a cobrir a bancada com muita pirotecnia, a mensagem estava passada! Na bancada uma imensidão de ultras deram um festival para mais tarde recordar e no campo o nosso Farense ia realizando uma exibição de nos orgulhar, podíamos ter resolvido o jogo nos 90 minutos, mas tal não aconteceu...o jogo vai a prolongamento e um penalti fantasma acabava com o nosso sonho. É frustrante, mas saímos de cabeça levantada e mostramos que o Farense esta de volta!!

Orgulho num grupo que enalteceu uma equipa!
Orgulho numa equipa que enalteceu um clube!
Orgulho num clube que enalteceu uma cidade!







terça-feira, 17 de novembro de 2015

Mentalidade Bairrista em Portugal

Vagueando pelo mundo cibernético, deparo-me com um artigo de opinião " Mentalidade Bairrista em Portugal", da pagina futebolportugal no qual o nosso grupo é uma referência.
UM texto que aconselho a leitura!
"Falar do comum adepto do futebol português, é falar de alguém que apoia Benfica, Porto ou Sporting, é falar de alguém que em muitos casos reside bem longe do estádio do seu clube, e que devido a esse facto, normalmente vê o seu clube jogar através da televisão. Existe em Portugal uma clara falta de cultura de ir ao estádio, ora seja porque o seu clube não é o da “terra”, ou porque os dias e horários dos jogos não são os mais adequados, ou então porque os preços dos bilhetes são muitos elevados, entre outros fatores. Tudo isto leva a que em Portugal, a maioria dos estádios tenha médias de espectadores abaixo de muitos outros campeonatos europeus, inclusive campeonatos onde a qualidade do futebol praticado é mais baixa comparando com a qualidade do futebol português.
Muitas vezes ficamos espantados com o número de adeptos que clubes de outros países levam aos seus estádios, principalmente na Alemanha e em Inglaterra, sendo que também é preciso perceber que esses países vivem uma cultura bem diferente da nossa no que toca a futebol. É claro que nessas nações as pessoas têm mais poderio económico para poderem frequentar os estádios com frequência, é também claro que muitas vezes as partidas de futebol se realizam em dias e horários mais adequados, mas não é só isso que influência a grande adesão das populações a assistir a jogos de futebol nos estádios desses países. Em Inglaterra e na Alemanha, assim como noutros países, existe uma forte cultura de paixão pelos respetivos clubes locais, mesmo que esses clubes não lutem frequentemente por títulos importantes, o que leva a que os estádios tenham sempre muito público e grandes atmosferas, mesmo quando se trata de partidas que envolvem equipas que dentro do campo não estão a ter os resultados esperados.
Em Portugal, é também muito comum o adepto que até vai ao estádio apoiar o seu clube local, mas que no entanto em primeiro lugar é adepto de um dos chamados clubes grandes, algo que para os clubes de menor dimensão não é de todo suficiente, pois precisam de uma base forte neste aspeto, ou seja, uma massa associativa fiel que apoie incondicionalmente o respetivo clube. Contudo, existem adeptos do futebol em Portugal, que percebem isto, e que em muitos casos as suas paixões são olhadas com desconfiança, mas é claro de forma errada, pois estes em muitos casos dedicam uma boa parte da sua vida a um clube, que mesmo não sendo uma equipa vencedora, sentem um amor incondicional pelo seu emblema em qualquer circunstância, isto talvez seja aquilo a que devemos chamar de verdadeira cultura futebolística.
A anterior imagem mostra uma tarja com uma frase da claque afeta ao Farense “South Side Boys”, onde se pode ler “Sou de Faro Sou Farense”, algo bem simples mas com um grande significado, que neste caso mostra o caso específico do Farense, mas que no entanto pode ser aplicado a muitos outros casos, pois é um slogan de paixão e devoção de uma massa para com o clube da sua cidade, ou seja, como são de Faro são do Farense independentemente da situação do clube e da sua valia.
Falando do clube de Faro, este é uma instituição com história que passou recentemente por dias muito complicados, tendo começado quase do “zero” nos distritais, sendo que agora já compete novamente em divisões profissionais. O Farense vai dando que falar em escalões secundários pelas suas boas assistências ao nível de espectadores, mesmo quando estava a jogar na distrital, em que em toda esta caminhada atingiu grandes marcas a este nível, como por exemplo no jogo que ditou a sua subida ao segundo escalão, em que estavam cerca de 14 mil pessoas no Estádio São Luís a assistir a um decisivo Farense – Leiria. Faro é de facto uma cidade que foge um pouco à regra da generalidade do país, mas não é caso único.
Quando se fala de mentalidade bairrista e fervor pelo clube da cidade, é “obrigatório” falar de Guimarães, pois é aqui que mora o clube que mais gente arrasta aos estádios em Portugal a seguir a Benfica, Porto e Sporting. Independentemente da situação do clube, os adeptos do Vitória SC seguem a sua única paixão para todo o lado, sendo exemplo disso as épocas 2005/06 e 2006/07, que corresponderam a uma inesperada descida de divisão e a uma passagem pelo segundo escalão respetivamente, em que no entanto, o Vitória continuou a marcar a diferença nas bancadas, mantendo o seu lugar de “4º grande” das assistências, juntando também a isso inúmeras manifestações de apoio à sua equipa em momentos muito difíceis.
O Vitória pode contar sempre com o apoio da sua massa associativa, e quem conhece Guimarães sabe que é muito fácil encontrar famílias inteiras que seguem o clube para todo o lado, não tendo nenhuma simpatia por qualquer outro clube, isto falando claro dos três chamados grandes.
A seguir ao Vitória SC, o clube que mais gente leva aos estádios do nosso país, é nada mais nada menos que o Braga, curiosamente o grande rival da equipa de Guimarães. Com o seu claro crescimento nos últimos anos, o Braga também tem crescido nas bancadas, algo que muito se deve aos bons resultados e também a uma clara vontade da sua direção em unir a cidade com o clube, pois muitas são as iniciativas deste tipo desde que António Salvador assumiu a presidência do clube minhoto.
O Braga é um muito bom exemplo do papel que os clubes também devem ter para chamar a si as respetivas populações locais, pois apesar de ser difícil mudar as mentalidades de gerações mais maduras, uma aposta deste tipo pode incutir um espírito diferente nas gerações mais jovens, sendo que o Braga é um bom exemplo neste campo, em que certamente os jovens Bracarenses que desde cedo se vão habituando a ser simplesmente do Braga, no futuro, mesmo quando as coisas não correrem tão bem, permaneceram fiéis ao clube da sua cidade.
Em Setúbal mora o Vitória FC, um clube que pode ser chamado de “histórico adormecido”, e talvez seja essa a causa de a equipa de Setúbal já não ter a força da sua massa adepta como noutros tempos se viu. Apesar de tudo, Setúbal é também uma daquelas cidades onde se pode encontrar muita gente com uma paixão incondicional pelo clube local, no entanto a cidade sadina tem perdido ao longo dos tempos aquela cultura de ir frequentemente ao estádio, e desta feita o Vitória tem dificuldades em ter no Bonfim um grande número de espectadores na maioria dos jogos.
Contudo, pessoas como por exemplo aquelas que estão ligadas ao movimento ultra do clube, tentam voltar a levar os Setubalenses a apoiar o Vitória como era natural no passado, sendo que é necessário apostar claramente nas faixas etárias mais jovens, pois é aqui que se pode encontrar o futuro do Vitória no que ao “12º jogador” diz respeito.
Na zona centro, mais precisamente na cidade de Coimbra, encontra-se outro grande histórico do futebol nacional, a Académica, também conhecida como Briosa. A claque afeta à Briosa chama-se “Mancha Negra”, e esta é portadora de uma mística muito própria, assim como o clube de um modo geral, mas no entanto, grande parte da população de Coimbra, em muitos casos estudantes que não nasceram na cidade, não partilham do mesmo espírito bairrista. A Académica é um clube muito adorado tanto em Coimbra como em muitos outros pontos do país, só que a Briosa, dada a sua mística e a sua história, merecia se calhar algo mais, pois muitas dessas pessoas que simpatizam com a Académica não passam disso mesmo, de simpatizantes, e este clube é também um caso de uma instituição que merecia ser apoiada de forma fiel e apaixonada por um maior número de pessoas.
Contudo, aqueles que realmente sentem a Briosa, acompanham-na para todo o lado em qualquer circunstância, mesmo que dentro do terreno de jogo a Académica muitas vezes não tenha os resultados desejados como noutros tempos.
A anterior imagem mostra uma partida da temporada passada relativa ao Campeonato Nacional de Séniores, que colocou frente a frente Famalicão e Varzim no Estádio Municipal 22 de Junho, em Famalicão. Este foi um encontro que contou com cerca de 10 mil espectadores nas bancadas, quando estamos a falar do terceiro escalão do futebol português, algo verdadeiramente notável!
Mas não foi só neste jogo que Famalicão e Varzim arrastaram multidões ultimamente, pois estes dois clubes, agora a competirem ambos na Segunda Liga, são outro bom exemplo de uma mentalidade um pouco diferente do que é habitual, e que sem dúvida dão outro colorido aos estádios onde jogam devido à forte adesão dos seus adeptos.
Abordando a pouca adesão de público aos estádios portugueses, podemos falar dos estádios que foram construídos para a realização do Euro 2004, e um bom exemplo disso é o Estádio Municipal de Aveiro, onde desde 2003 até à poucos meses atrás jogava o Beira-Mar, um clube com pergaminhos futebol nacional, mas que viu a sua “casa” ser mudada para um estádio completamente fora do centro da sua cidade, resultando numa grande perda de ligação dos Aveirenses com o Beira-Mar.
Atualmente, o Beira-Mar compete nos distritais, isto devido a graves problemas financeiros que obrigaram o clube a sair do futebol profissional, e desde então que o clube Aveirense joga novamente no seu antigo estádio, onde vai registando assistências ao nível de espectadores verdadeiramente assinaláveis. Isto mostra de facto, que a população de Aveiro está de novo com a sua equipa neste momento tão difícil, e que sem dúvida que com o regresso à sua “antiga casa”, bem mais no centro da cidade de Aveiro, o Beira-Mar pode novamente contar com uma massa associativa coesa para ultrapassar esta terrível fase da sua história.
Com tudo isto, a ideia a reter, é que é vital apoiar o futebol local, sendo que o que está escrito no presente artigo não se trata de qualquer verdade absoluta mas apenas de uma mera opinião, em que este é um tema que pode gerar as mais diversas opiniões e discussões saudáveis sobre tudo o que envolve este tipo de questões. De relembrar ainda que outros clubes poderiam ter sido abordados ao falar neste tema, como por exemplo o Boavista, que é um exemplo de uma instituição que se reergueu muito pela força dos seus adeptos, assim como outros outros clubes poderiam ter sido referenciados."

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Velhos Tempos!


E vão 3 sem perder!!

Depois de dois jogos sem ganhar, eis que vamos em três jornadas sem perder! E assim é feita a II Liga, ora se esta na luta por não descer, ora depressa se mete na luta pela subida, é um campeonato muito longo e competitivo, temos o caso do Freamunde que quando veio a Faro estava abaixo da linha de agua e agora esta na luta pela subida, o nosso Farense não tem oscilado tanto na tabela, mantendo-se sempre na parte superior da mesma. Tempos que acreditar, não entrar em depressão com as derrotas nem em euforias com as vitórias, tal como o temos feito motivar nas derrotas e celebrar as vitórias, apoiando SEMPRE!! Ao contrario, os treinadores de bancada, tão sobejamente conhecidos em Faro como as formigas brancas, termo vindo da década de 90, quando um grupo de sócios se sentava no topo norte durante os treinos, constantemente criticando. Criticar quando as coisas correm mal é o mais fácil, mas quando se tem um objectivo e se quer conquista-lo temos que apoiar e saber motivar quando as coisas correm mal!
Os nossos jogadores não são os melhores, para a isso apoiava um dos grandes, mas o meu clube tem apenas 2000 sócios, na minha cidade de apenas 60000 habitantes e para mim eles são os maiores e só lhes cobrarei quando ver que não dignificam aquela camisa que representa esta pequena mas enorme minoria.
3jogos sem perder, duas vitórias nas recepções ao Benfica B e Vitória B e um frustrante empate em Matosinhos, fazendo as contas as pontos perdidos nos descontos e a frustrante derrota em casa com o Freamunde, imaginem onde estaríamos...apoiem e não critiquem!
Dos três jogos apenas tive oportunidade de presenciar ao jogo contra o Vitória B, saido do trabalho cheguei ao estádio ligeiramente tarde, mas a tempo dos golos. Ainda fora do estádio perdi uns minutos admirando do topo Norte o nosso Topo sul, jogo fraquinho com pouco mais que 60 elementos, mas a força que passamos para o resto do estádio e impressionante.
Não tendo sido uma boa presença, foi uma boa prestação e uma boa vitoria! Boa postura de bancada!
Depois veio a Tranferta a Matosinhos, que mais uma vez não pude ir por causa do trabalho...e lamento imenso, pois perdi a oportunidade de confraternizar com esta boa gente de Matosinhos.
Os South Side não teem quaisquer relações de amizade, mas temos algumas boas relações de Respeito que fomos conquistando no movimento ultra Português, e o Pessoal da Mafia é um destes casos. Onde há Mentalidade não existe Rivalidade!

FARENSE 1-0 Benfica B

FARENSE 2-0 Vitória

Leixões 1-1 FARENSE